Distribuição dos profissionais de contabilidade nas microrregiões brasileiras: uma análise econométrica-espacial

Palavras-chave: Econometria espacial, Desenvolvimento regional, Mercado de trabalho de contabilidade

Resumo

Objetivo: Identificar os fatores socioeconômicos que influenciam a distribuição espacial dos profissionais de contabilidade nas microrregiões brasileiras.

Metodologia: Utiliza-se os microdados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) de 2016, dados socioeconômicos do IBGE para produto per capita, densidade demográfica, número de empresas e organizações atuantes e o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal de 2016 estimado pela FIRJAN. Os métodos quantitativos empregados para investigar o relacionamento entre as variáveis incluem métodos de análise exploratória espacial, como os testes de correlação espacial I de Moran. Aplica-se técnicas de regressão múltipla e regressão espacial, considerando como variável explicada a proporção de profissionais contábeis por microrregiões brasileiras.

Resultados: Os resultados obtidos apontam o IDHM como a variável mais explicativa para a presença de profissionais de contabilidade, além do número de estabelecimentos atuantes em uma região. Assim, a distribuição de profissionais contábeis é heterogênea em consequência da dependência espacial das variáveis.

Contribuições do Estudo: Incorpora os efeitos de dependência espacial a fim de identificar a contribuição individual de cada fator socioeconômico para a localização dos profissionais de contabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Willian Boschetti Adamczyk, Doutorando em Economia do Desenvolvimento na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

Professor na Faculdade de Tecnologia Nova Palhoça (FATENP/UNIGRANRIO).

Referências

Almeida, E. (2012). Econometria Espacial Aplicada. Editora Alínea.

Anselin, L. (2001). Spatial econometrics. A companion to theoretical econometrics, v. 310330.

Anselin, L. (2005). Exploring Spatial Data with GeoDa: a Workbook. University of Illinois, Urbana-Champaign.

Baumont, C. (2004). Spatial effects in housing price models: do housing prices capitalize urban development policies in the agglomeration of Dijon (1999)? (Doctoral dissertation, Laboratoire d'économie et de gestion (LEG)).

Conselho Federal de Contabilidade (CFC). (2017). Carta de serviço ao usuário. Brasília, DF.

Ching, H. Y., Marques, F., & Prado, L. (2010). Contabilidade & finanças para não especialistas. Pearson Prentice Hall.

Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN). (2016). Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal – IFDM 2016.

Fochezatto, A. (2010). Desenvolvimento regional: novas abordagens para novos paradigmas produtivos. In: Conceição, O. A. C. et al (Org.). O Ambiente Regional: Três Décadas de Economia Gaúcha. Fundação de Economia e Estatística - FEE.

Golgher, A. B. (2015). Introdução à econometria espacial. Paco Editorial.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2016). Produto Interno Bruto dos Municípios: Tabela 5938.

Kruger, S. D., Sacon, K., Mazzioni, S., & Petri, S. M. (2018). Perfil do profissional Contábil Demandado pelo Mercado de Trabalho na Região Sul do Brasil. Revista de Contabilidade da UFBA, 12(1), 54-73.

Lima, J. F., Rodrigues, K. F., Alves, L. R., & Rippel, R. (2014). A distribuição espacial do emprego formal na produção algodoeira e têxtil no estado do Paraná no período de 1997 a 2007. Revista da FAE, 17(1), 198-211.

Marion, J. C. (2009). Contabilidade Empresarial. Editora Atlas.

Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). (2016). Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil (MTE).

Oliveira, D. P. R. (2009). Plano de Carreira: foco no indivíduo. São Paulo: Atlas.

Porter, M. E. (1998). Clusters and the new economics of competition (Vol. 76, No. 6, pp. 77-90). Boston: Harvard Business Review.

Santos, C. S., Santos, G. F., Almas, R. S. (2016). O padrão de distribuição espacial da indústria calçadista no Estado da Bahia. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas, v.13, n.21, p. 151-168.

Soares, S. T. T., Soares, C. S. (2017). O que o mercado de trabalho avalia para contratar um contador?: um estudo em Santa Maria/RS. Disciplinarum Scientia, v. 12, n. 1, p. 65-83.

Souza, F. A., Silva, C. A. T., da Silva, P. B., & de Souza, P. V. S. (2019). Onde estão os profissionais contábeis no Brasil?. Revista Ambiente Contábil, 11(1), 98-116.

Publicado
01-07-2020
Como Citar
APARECIDA DOS SANTOS ZENATTA, F.; BOSCHETTI ADAMCZYK, W. Distribuição dos profissionais de contabilidade nas microrregiões brasileiras: uma análise econométrica-espacial. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 12, n. 2, p. 74-91, 1 jul. 2020.
Seção
Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial (S1)